A FIGURA DO SENSEI
Em homenagem ao Dia do professor.

KARATE-DŌ NOS JOGOS OLÍMPICOS?
Mais uma vez na corrida pela vaga nos Jogos Olímpicos.

KUMITE, O TERCEIRO PILAR
Clique e confira mais sobre esta prática dentro da arte marcial.

sábado, 26 de novembro de 2011

6. PRATICANTE DE KARATE OU KARATEKA?



Osu [押忍]!

É comum o hábito de chamar os praticantes de artes marciais por um nome específico, e o Karate-Dō [空手道] não é exceção, pois quem o pratica é conhecido como karateka [空手家]. No entanto, “karateka [空手家]” e “praticante de karate [空手]” não são termos iguais. Nos países ocidentais não há uma definição muito clara entre estas duas definições, perdendo-se, assim, o significado mais profundo do termo. O segredo disso está nos ideogramas utilizados para escrever a palavra.


Os primeiros ideogramas de karateka [空手家] são simplesmente a escrita do nome Karate [空手], indicando no termo, a ligação com essa arte marcial. O ideograma chave, no entanto, é o que se segue: Ka [家], sufixo que ao ser traduzido literalmente significa "casa", "lar". No entanto, no caso das artes marciais, pode ser interpretado como "especialista", "alguém que se especializou em". Ou seja, um karateka [空手家] é aquele que se tornou "a casa (o lar) onde mora o Karate [空手]".


Partindo disso, podemos entender de fato o que é ser um karateka [空手家]. 


Quando treinamos Karate-Dō [空手道], aos poucos nos tornamos parte dele, bem como ele uma parte de nós. Incorporamos a arte ao nosso dia a dia, passando a agir e pensar de acordo com o que aprendemos ali, seja no treinamento de movimentos ou no conjunto de valores. Quando isso se torna internalizado, não apenas em aspectos físicos, mas mentais e espirituais também, passamos a nos tornar karateka [空手家], pois o que aprendemos no Dōjō [道場] já mora dentro de nós como uma parte essencial. Isso pode ser atingido em tempos diferentes para cada um, de acordo com o nível de comprometimento de cada pessoa. O sufixo "Ka [家]" não depende da cor da faixa ou do número de anos de prática, mas de dedicação e entendimento.


Uma pessoa que treina apenas com o propósito de mudar de faixa e chegar à preta, mas negligencia o estudo da arte que pratica, não passa de um mero “praticante” da arte, enquanto outro aluno (talvez com menor graduação), que praticou e estudou, tornou-se um "especialista" da sua arte. O mesmo pode ocorrer com um graduado que sucumbiu à corrida aos Dan [段], independente de quantos possua.


A diferença entre o "praticante" e um "especialista" é que um aprendeu a fazer os movimentos e se acomodou, enquanto o outro continua a estudar e aprender o máximo que pode. Aqueles que treinam e estudam as suas artes podem ser chamados de Karateka [空手家], pois é esta a verdadeira atribuição trazida pelo sufixo "Ka [家]".

Osu [押忍]!

Brandel Filho [ブランデル フィリオ]


Agradecimentos ao sensei Denis Andretta, pelas contribuições que geraram este texto.

---------------------------------------------
Referências
MICHAELIS. Dicionário Prático de Japonês-Português. São Paulo: Melhoramentos, 2003.
MICHAELIS. Dicionário Prático de Português-Japonês. São Paulo: Melhoramentos, 2001.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

DESIGN E TEXTOS

Osu [押忍]!

A participação de nossos leitores é muito importante, pois é através dela que (re)descobrimos novas facetas a serem exploradas nos textos. O uso de caracteres da escrita japonesa, bem como das regras de romanização, foram sugestões externas. O mesmo vale para alguns pontos de diversos textos, que foram alterados.

E porque alterar o texto original?

Essas correções ocorrem para que fique disponibilizado o melhor material possível na internet. Por isso, a participação de vocês é fundamental. E, para comemorar essa nova fase, o site teve seu design renovado. Opine, critique e comente os textos, ajudando este espaço, que é de todos nós, a crescer cada dia mais forte, assim como o nosso Karate-Dō [空手道].



Osu [押忍]!


Brandel Filho [ブランデル フィリオ]